terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Coronel da PM troca os pés pelas mãos em declaração à jornal.


Notisul - Qual a relação da Polícia Militar com a Guarda Municipal de Tubarão (GMT)? Como funciona essa divisão?

Silvio Ricardo - Inicialmente, gostaria de afirmar que não sou contra a GMT, pelo contrário, acreditamos que uma parceria seria de fundamental importância. Sobre a atuação deles, é o que deveria ser revisto. Já participei de várias reuniões com o secretário de segurança e trânsito da prefeitura, João Batista de Andrade, e coloquei o meu parecer. Conversei sobre o assunto na câmara de vereadores. A GMT tem um caminho longo a percorrer. O trabalho mais direcionado a eles seria a proteção e conservação das praças públicas de Tubarão. Portanto, não concordo com serviço ostensivo de policiamento a pé, da patrulha com cães, no rádio patrulhamento com viatura e no serviço de fiscalização do trânsito, além das autuações e notificações aos infratores. Em resumo, não concordo com este trabalho, que é nosso.
Trecho da entrevista do Comandante da PM de Tubarão ao Jornal Notisul do dia 26/12/09.

Na nossa opnião é de se lamentar como algumas pessoas permanecem com uma visão arcaica de segurança pública, apregoando exclusividade na prestação de certos serviços, talvez pelo medo da comparação ou por vaidades, sei lá!, o fato é que a população não quer apenas proteção do patrimônio material mas sim a proteção de seu maior bem que é a sua vida e a de seus familiares, e esta proteção é facultada pela Constituição Federal aos municípios possibilitando uma atuação multi-setorial através do trabalho de  suas Guardas Municipais.

sábado, 19 de dezembro de 2009

GMT encerra o ano com êxito em mais uma de suas atividades comunitárias.


A Guarda Municipal de Tubarão (GMT), órgão da secretaria de Segurança e Trânsito do município, encerrou na última quinta-feira (17), as atividades do ano de 2009, do projeto “Prevenção e a segurança através do esporte”. Coordenado pelo guarda municipal Douglas de Souza Machado(bacharel em educação física), o projeto foi executado durante todo o ano nos colégios Martinho Guizzo, bairro Passagem; Visconde De Mauá, em Oficinas e Arino Bressam, no Monte Castelo.
O encerramento aconteceu no ginásio de esportes José Warmuth Teixeira com um torneio de futebol entre as escolas participantes e distribuição de medalhas. O projeto foi criado para ocupar o tempo livre das crianças com prática esportivas e com isso, reduzir o índice de criminalidade e melhorar os indicadores da qualidade de vida, através da prática de esportes. “As crianças que estudam no período matutino, voltam para a escola no vespertino para trabalhar com esportes. Nosso objetivo é preencher o tempo ocioso das crianças para que eles fiquem longe das drogas e da criminalidade”, diz Douglas, que a salienta que apesar da cidade ainda ter um índice pequeno de criminalidade, a prevenção ainda é a forma mais eficaz de se evitar problemas futuros.
Fonte: Secom/PMT

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Guarda Municipal de Tubarão vai auxiliar na segurança do Uniluz.


Um dos eventos mais tradicionais, o Uniluz, acontece amanhã, terça-feira (8) e reunirá, aproximadamente, sete mil pessoas no local do evento. Por isso, pensando na segurança e no conforto de quem vai participar do show, a Guarda Municipal de Tubarão (GMT), órgão da secretaria de Segurança e Trânsito estará presente com o seu efetivo organizando, principalmente o trânsito no local. “A GMT vai bloquear o trânsito nas ruas Capitão Alexandre de Sá e Padre Dionísio da Cunha Laudth, a partir das 18h, duas horas antes do início do evento. Também alertamos aqueles que utilizam a ponte pênsil, que ela será interditada a partir das 19h, por medida de segurança dos usuários”, informa Davi Laurentino, inspetor da Guarda Municipal.
A Guarda Municipal de Tubarão alerta e aconselha as pessoas que forem até o Uniluz com seus veículos, que não deixem objetos de valor visíveis dentro do carro como medida de prevenção de furtos. “Recomendamos às pessoas que residem em bairros próximos ao evento que se desloquem a pé, pois o número de veículos no local e o espaço para estacionar nas vias é insuficiente. Queremos prevenir às pessoas para que não percam tempo na procura de um local ideal", alerta Davi.
O show acontece a partir das 20 horas, na Unisul de Tubarão. Entre as novidades desse ano, está a volta do evento para o pátio frontal da universidade.

Guarda Municipal aumentará o efetivo durante o período natalino.


A Guarda Municipal de Tubarão (GMT) dará início nesta segunda-feira (07) à operação “Natal Seguro com a Guarda Municipal”. Segundo o diretor da GM Adailton do Livramento, o efetivo será aumentado em 30% nas ruas (principalmente do Centro) no período noturno para garantir a segurança dos consumidores durante as compras de fim de ano.
O patrulhamento será dividido entre homens a pé, em carros e motos que circularão pelos pontos comerciais de maior movimento e nas vias de acesso. A operação conta ainda com o patrulhamento com cão na beira rio, visando a segurança dos pedestres que por ali circulam. Ainda segundo Adailton, alguns pontos de maior circulação, como em frente ao Farol Shopping, a Guarda Municipal auxiliará os pedestres na travessia da avenida.
A GMT também alerta para a possível ação de indivíduos mal intencionados e orienta os consumidores a não portarem objetos de valor, procurando sempre estarem acompanhados durante as compras de Natal, o que dificulta a ação dos meliantes. “As pessoas, principalmente as mais idosas, também devem evitar o saque de dinheiro em caixas eletrônicos depois das 20 horas, horário de maior risco de assalto”, orienta Adailton
A operação “Natal Seguro com a Guarda Municipal”, se estende até o final do mês de dezembro, quando o comércio volta a funcionar em horário normal. “Pedimos que as pessoas, em caso de atitude suspeita ou até mesmo para orientação, procurem um de nossos agentes”, diz Adailton.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Ministro da Justiça apóia Guarda Municipal em Balneário Camboriú.


Tarso Genro quer aumentar as guardas no Rio de Janeiro

Por Alessandra Damaceno.
A polêmica Guarda Municipal foi um dos assuntos abordados pelo Ministro Tarso Genro (PT), que esteve em Balneário Camboriú onde participou da palestra sobre segurança no último dia 22. Mesmo com uma hora de atraso, o ministro respondeu aos questionamentos da imprensa logo na chegada, e comentou sobre seu apoio a implantação da Guarda Municipal e de seu posicionamento por ela ser armada. “Depende das circunstâncias e do tratamento legal, junto à Polícia Federal para cumprir certos requisitos”, ressaltou. Conforme Genro, a intermediação entre a comunidade organizada e as autoridades policiais, que tem a função de repressão e investigação, é possível perfeitamente integrar as guardas municipais no Programa Nacional de Segurança e Cidadania – Pronasci. “Atualmente a Lei permite e orienta os municípios a fazerem isso”, destacou. Em relação a aumentar o efetivo das polícias, o ministro disse que é uma questão atinente ao Governo do Estado. “Há uma hierarquia constitucional para as questões de segurança que devem ser respeitadas”. Para o ministro, as polícias Militar e Civil são de competência do Estado, mas elas podem atuar de maneira absolutamente integrada com a guarda. “Não se pode mais pensar em uma concepção de segurança séria se não for de maneira integrada nas três esferas da União”, ressaltou. O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Altamiro Teixeira ressaltou que é preciso cuidar para que Balneário Camboriú não se transforme em um Rio de Janeiro em termos de violência. “O sonho dos nossos varejistas é que nossa cidade seja mais segura”, destacou. Já Tarso Genro relembrou da infância. O ministro enfatizou que a violência que ocorre no Rio de Janeiro atualmente é porque há 40 anos os políticos fecharam os olhos para a segurança. “O crime pode ser combatido se atacarmos os delitos diários”, salientou. Após a explanação do ministro o microfone foi aberto ao público. Como discursos,as perguntas se estendiam, e no final de todas, Genro respondeu uma a uma. O secretário de segurança, Nilson Prosbt, representou o prefeito Edson Piriquito, e no final do evento entregou em mãos ao ministro um ofício propondo parceria do Pronasci, programa que disponibiliza verbas para serem aplicadas na Segurança Pública. Segundo Prosbt, a palestra mostra que o município está no caminho certo em busca de segurança. “A prova disso é o projeto da guarda municipal”, destacou.
Fonte:http://www.jornalboca.com.br/ministro-da-justica-apoia-guarda-municipal-em-balneario/

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Plano, eles têm. Ações, nem tanto.


Propostas para diminuir criminalidade em SC demoram a sair do papel
Do jornal Diário Catarinense;

Anunciado no dia 2 de setembro como uma arma para reduzir a criminalidade em Santa Catarina, o plano de segurança pública para o Estado apresenta resultados tímidos até agora. Houve aumento do número de assassinatos em seis das 12 cidades escolhidas como alvo da mobilização policial. A escolha dos 12 municípios levou em conta a quantidade de assassinatos, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública.
Todos apresentavam taxa superior a 10 homicídios por grupo de 100 mil habitantes. Trata-se do máximo aceitável pela Organização das Nações Unidas (ONU).
Muitas das medidas previstas, como a contratação de policiais militares, não saíram do papel. O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão, Ronaldo Benedet, reconhece que é necessário intensificar as ações de policiamento ostensivo e as operações policiais.
Benedet entende que ainda “há muito a fazer na prevenção”. Ele avalia que “só repressão não basta” e diz que “os municípios podem ajudar no combate à violência”.
Ao lançar o plano, o governo do Estado definiu como prioridade operações em busca de foragidos, barreiras e a presença de policiais nas ruas para transmitir a sensação de segurança aos moradores.
Em Camboriú e Navegantes, no Litoral Norte, o reforço foi evidente e a comunidade diz estar se sentindo mais segura (detalhes na página ao lado). A Polícia Civil montou operações especiais e deslocou policiais de elite na tentativa de frear os assassinatos na região. A Polícia Militar também passou a atuar com rondas especiais nesses lugares.
– Notamos que onde houve operações da Polícia Civil, como Camboriú e Navegantes, com sufoco aos criminosos, houve melhoria significativa na questão da segurança. Esse é um trabalho ostensivo que estamos fazendo. A população quer polícia na rua, câmeras e outros equipamentos de segurança – defende o delegado-geral da Polícia Civil em Santa Catarina, Maurício Eskudlark.
O comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina, coronel Eliésio Rodrigues, diz que a corporação está trabalhando para conter os índices de violência e cumprir as metas do plano. Ele entende que a violência tem diminuído no Estado.
Esta não é a primeira vez que o Estado recorre a um plano de segurança para tentar combater a criminalidade. Em 2007, uma ação do gênero não deu os resultados esperados. Naquele ano, foram registrados 643 homicídios em Santa Catarina.
Fonte:diario.com.br

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

GUARDAS MUNICIPAIS DEBATEM CUIDADOS COM O MEIO AMBIENTE, PRESERVAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E ATUAÇÃO.


PRIMEIRO CONGRESSO NACIONAL DE GUARDAS MUNICIPAIS E MEIO AMBIENTE DIA 10/12/2009.
Este é o meio que encontro para vencermos as críticas feitas por pessoas que não conhecem nossos trabalhos, Fazer eventos!!!
Precisamos acordar a sociedade brasileira que está adormecida e sem esperanças na segurança pública deste país, meio ambiente, só é mais uma das várias atribuições que as Guardas Municipais, futuras Policias Municipais Brasileiras já desempenham. Está confirmado o nosso evento; PRIMEIRO CONGRESSO NACIONAL DE GUARDAS MUNICIPAIS E MEIO AMBIENTE, em um lugar privilegiado. Este evento será realizado no Parque do Ibirapuera/SP/Capital, mais precisamente no MAC, Museu de Arte Conteporânea da USP, dia 10 de Dezembro a partir das 08 horas, com presença de várias autoridades e de Guardas Municipais de todo o Brasil, Participe!
Já realizamos dois grandes foruns, Carapicuiba e Diadema, o próximo será em Americana e o ultimo, encerrando as 4 etapas que antecedem o congresso, será na Guarda Municipal de Ribeirão Preto/SP.
Fonte: www.guardasmunicipais.com.br

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Grande pedido ao Papai Noel.


Em carta de 600 metros, crianças de Tubarão solicitam proteção ambiental

Alunos de 20 escolas de Tubarão, no Sul do Estado, escreveram cartas que pedem um presente diferente ao Papai Noel. Em vez de brinquedos, emprego para algum familiar ou cura de alguma doença, elas gostariam de receber, de maneira permanente, proteção especial ao meio ambiente.
Esse pedido faz parte do chamado Projeto Lapônia, idealizado pela Guarda Municipal de Tubarão. Cerca de 2,5 mil crianças participam dele. De acordo com o guarda Maciel Brognoli, um dos autores da ideia, as cartas serão coladas uma na ponta da outra para formar uma correspondência de 600 metros de comprimento. A correspondência gigante será enviada para a residência oficial do Papai Noel, na Lapônia, província localizada na Finlândia.
– A preservação do meio ambiente é um tema permanente em todo o mundo e achamos legal lembrar da importância no Natal – diz Brognoli.
Os pedidos das crianças são redigidos nas cartas depois que os integrantes da Guarda Municipal fazem uma palestra sobre a preservação do meio ambiente.
David Kirchner Silva, sete anos, pediu que o Papai Noel alerte as pessoas para que não joguem lixo no rio. A colega Nicole Soares Machado, oito anos, lembrou da importância das florestas do país e do mundo:
– Queria que o Papai Noel protegesse as árvores, pois são bonitas e ajudam a melhorar o ar.
O rolo de cartas será entregue de maneira simbólica a um Papai Noel no próximo sábado em um ginásio de esportes do Bairro Humaitá. Depois, a Guarda Municipal de Tubarão vai enviar pelo Correio ao endereço oficial do Papai Noel, na Finlândia.
Fonte: Diário Catarinense.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Guarda Municipal prende tarado.


No no último dia 07/11 (sábado), por volta das 17:00 horas na Ponte Dilney Chaves Cabral, havia um homem se masturbando de forma exibicionista para quem passasse pelo local. Sendo que duas moças ao avistarem o tarado comunicaram imediatamente a Guarda Municipal, que em seguida efetuou a prisão. Conforme relatos da comunicante, o fato já havia acontecido anteriormente, mas dessa vez a GMT estava presente e pôde efetuar o flagrante: “Dessa vez o socorro chegou rápido, eles são muito ágeis e prestativos” relata, além de elogiar a Guarda Municipal, que apesar de ainda não trabalhar armada presta um serviço de excelência ao cidadão.

domingo, 8 de novembro de 2009

Senador Romeu Tuma cobra da câmara aprovação da PEC 534/02.


Ao informar que na sexta-feira passada (30/10) foi publicada no Diário Oficial da União a sanção do projeto de sua autoria, o PLS 299/06, que instituiu o Dia da Guarda Municipal, a ser comemorado a cada 10 de outubro, o senador Romeu Tuma (PTB-SP) fez um apelo ao presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP).

Que ele coloque em pauta, no Plenário, a proposta de emenda à Constituição (PEC) 534/02, também de sua autoria, que amplia as competências das guardas municipais.  Há enorme ansiedade dos prefeitos no sentido de que suas guardas municipais sejam legalizadas. Principalmente no sentido de integrarem o Sistema Único de Segurança Pública (SUSP).
Se a PEC for aprovada, as prefeituras poderão firmar convênio com os governos estaduais para que as guardas atuem no combate ao crime em parceria com as policias militar e a civil, explicou Romeu Tuma.
O texto da PEC elaborada por Romeu Tuma, que já foi aprovado pelo Senado e encontra-se pronto para ser incluído na pauta da Câmara, altera a Constituição Federal para determinar que "os municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de suas populações, de seus bens, serviços, instalações e logradouros públicos municipais, conforme dispuser lei federal".
Já o PLS sancionado, que gerou Lei-012066, de 2009, elegeu 10 de outubro para comemorar o Dia da Guarda Municipal em virtude de ter sido nesta data, no ano de 1831, que o Regente Feijó editou um decreto autorizando as províncias a criar seus corpos de guardas municipais.

sábado, 7 de novembro de 2009

CAMPO LARGO/PR ARMARÁ SUA GUARDA MUNICIPAL.


A metade dos 40 guardas municipais de Campo Largo finalizou a 2ª fase do curso de tiro, nesta sexta-feira (30), na Escola Superior de Polícia Civil, em Curitiba. Eles passaram duas semanas aprimorando a técnica de manejo e uso de arma de fogo, pois, em breve, vão proteger a população campolarguense também com armas letais.
Pela manhã, os treinamentos foram com espingarda calibre 12mm e pistola calibre 3,80mm, que vão ser utilizadas no dia a dia dos GM’s. A tarde foram feitas abordagens diferenciadas, com técnicas e procedimentos de segurança, como, por exemplo, saber agir se houver a troca de tiros entre um indivíduo e a Guarda Municipal. “Só portar arma não é suficiente. É necessário treinamento para que, quando a guarda estiver armada, saiba como agir ao se deparar com marginais”, comenta Élson Fernandes da Silva, ex policial militar e atual guarda municipal.
A Polícia Federal exige que o GM tenha, no mínimo, 100 horas de treinamento para o porte de pistola semiautomática. Os GM’s já ultrapassaram esta exigência e deram mais de 150 tiros desde que iniciaram a preparação, em janeiro. “É muito importante esse aprendizado para que esses homens protejam a vida se precisarem usar uma arma. Fora que a população está praticamente ganhando um policial a mais na cidade”, ressalta o instrutor e investigador do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), Paulo Edson de Macedo Pacheco Filho.
A próxima turma de GM inicia a 2ª fase do treinamento na próxima segunda-feira (09), porém todos farão, nesta semana, os testes psicológico e psicotécnico, necessários para o porte.
Durante um ano, a Guarda Municipal teve um aprendizado na rua, abordando situações sem arma. “Foi proposital a ideia de treiná-los primeiro sem armas para aprenderem como agir em todo tipo de situação”, comenta a corregedora da secretaria municipal de Segurança, Priscila Pacheco. Hoje, a um passo da aptidão, a principal tarefa é manter as abordagens, primeiramente, sem a utilização do armamento. “A questão primordial é a segurança pessoal dos guardas, mas as armas só devem ser utilizadas em último caso”, afirma Priscila. Ela lembra que além de segurança pessoal, a artilharia também servirá para dar mais segurança para comunidade em geral. “A proteção do patrimônio público também é feita pelos GM’s. Em caso de uma violação, por exemplo, eles terão uma garantia a mais num confronto do que munidos apenas de tonfas - um tipo de taco ou bastão”, lembra Priscila.
Na primeira fase, eles aprenderam a manusear revolver calibre 38. E, além dos cursos convencionais de porte de arma, a guarda municipal fez também dois dias de treinamento em primeira intervenção de artefatos explosivos, com o Grupo de Operações Especiais (GOE). Esse é um dos diferenciais da GM de Campo Largo, que busca diariamente estar capacitada a enfrentar as situações mais diversas do cotidiano.

Guarda Municipal ajuda prefeitura a reduzir despesas, a economia será de quase R$ 700 mil por ano em segurança e preservação de prédios públicos.


A Guarda Municipal de Varginha começa a monitorar mais de 15 prédios públicos com um sistema moderno de vigilância eletrônica. Ao todo serão investidos R$ 195 mil em equipamentos de segurança, em 86 prédios, como hospitais, escolas e policlínicas distribuídas nos 127 bairros de Varginha, todo sistema estara pronto em 60 dias. De acordo com o Inspetor da Guarda Municipal, Maurício Donizete Maciel, a prefeitura deve economizar R$ 55 mil todos os meses. “O dinheiro que seria gasto em serviços particulares poderá ser direcionado para outras prioridades. Estamos preparados para atender todas as ocorrências com rapidez e assegurar a integridade de nossos prédios”.
A agilidade é outro ponto forte: “vamos chegar muito rápido ao local e surpreender o infrator. Nossa média será de três a cinco minutos após o acionamento do alarme”, garante Maciel. A Guarda Municipal já realiza monitoramento através de câmeras de vídeo em eventos públicos e tem reduzido o número de ocorrências graves no município.
A central de monitoramento está instalada dentro da sede da Guarda Municipal . “Às vezes a viatura da Guarda passa por determinado local e quando vai embora aparece um indivíduo mal intencionado. Com o sistema, a equipe mais próxima será avisada de qualquer acontecimento”, completou o diretor da Guarda Municipal, Guilherme Maia.
Nove a cada dez pessoas entrevistadas acreditam que a medida será importante para o município. “Com a implantação do sistema haverá melhorias em ambas as partes. O patrimônio será protegido e haverá mais dinheiro para ser destinado a saúde e educação”, comentou a enfermeira Núbia Reis.
Fonte: http://www.gmvarginha.com.br/noticias_2009/monitoramento_alarmes.htm

Município adere ao Pronasci e quer R$ 4,5 milhões até o fim do ano.


Cidade tem até 20 de dezembro para apresentar projetos. Recursos serão investidos na Guarda Municipal, em câmeras de monitoramento e no gabinete de gestão integrada.
Após aderir ao Programa Nacional de Segurança Pública (Pronasci) na tarde desta quinta-feira (5), Londrina já pensa em garantir R$ 4,5 milhões para investir em segurança pública. Entretanto, para garantir as verbas do Pronasci ainda neste ano, Londrina e região terão de correr contra o tempo. O prazo para apresentação de projetos termina em 45 dias, no dia 20 de dezembro.
A cidade assinou o termo de adesão junto com outros oito municípios: Cambé, Ibiporã, Bela Vista do Paraíso, Jataizinho, Rolândia, Tamarana, Sertanópolis e Arapongas. Participaram do evento os ministros da Justiça, Tarso Genro, e do Planejamento, Paulo Bernardo.
Londrina faz parte do primeiro Consórcio Intermunicipal de Segurança Pública e Cidadania do país, o que possibilitou a cidade a aderir ao Pronasci. “O programa é uma política preventiva para jovens aliada à repressão da criminalidade”, afirmou o ministro Tarso Genro, durante entrevista coletiva no evento.
Os R$ 4,5 milhões que a cidade quer serão para investir na Guarda Municipal, em câmeras de monitoramento e no gabinete de gestão integrada, segundo o secretário deDefesa Social de Londrina, Benjamin Zanlorenci. Além disso, o consórcio deverá propor outros projetos que também beneficiarão Londrina.
“Vamos mudar o paradigma da segurança pública no nosso país”, declarou Genro. Para o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, as cidades que não apresentaram projetos, mas tinha recursos garantidos, deveriam ser excluídas do programa.
O programa é voltado para regiões metropolitanas mais violentas do Brasil. Embora violenta, mas não chegando aos índices de grandes capitais, Londrina foi incluída como forma de prevenir a violência. Pronasci
O programa foi criado há dois anos pelo Ministério da Justiça e quer aliar políticas públicas de segurança com programas sociais, priorizando ações preventivas e apoio ao combate da violência, além da reestruturação penitenciária. Segundo o MJ, o Pronasci está presente em 21 estados, no Distrito Federal e em 109 municípios. Em 2008, primeiro ano do programa, foram R$ 1,4 bilhão de recursos federais aplicados.
fonte: http://portal.rpc.com.br/jl/online/conteudo.phtml?tl=1&id=941247&tit=Londrina-adere-ao-Pronasci-e-quer-R-45-milhoes-ate-o-fim-do-ano

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Guardas Municipais são reconhecidos pela ONU como policiais que promovem proteção às pessoas.


A IPA (International Police Association) é um órgão de intercâmbios de policiais do mundo inteiro, onde podem se conhecer e se inter relacionar tanto em serviço (cursos, seminários, congressos, estágios e intercâmbios policiais) como nas folgas (passar férias em algum país que é filiado a IPA no mundo). Nos dois casos os policiais ficam hospedados em quartéis de polícia ou nas residências de policiais filiados.
A IPA é um órgão ligado a ONU (Organização das Nações Unidas) e para se filiar a IPA no Brasil, basta ser Policial Civil, Policial federal, rodoviário federal, ferroviário federal ou Guarda Municipal. Como a IPA é ligada a ONU, para as Nações Unidas as polícias de população são polícias civis, pois polícias militares são polícias de forças armadas (exército, marinha e aeronáutica), não são reconhecidas como polícia de segurança de população, por este motivo, policiais militares NÃO podem se filiar a IPA. Esse entendimento é fruto de acordo internacional promovido pela Organização das Nações Unidas.

Segundo o Professor Jarim só existem 4 paises que ainda mantém Polícias Militares com atuação na segurança das pessoas: Brasil, Somália, Vietinã e Gabão (Os três últimos não são filiados à ONU)
http://www.ipa-brasil.org.br/
Jarim Lopes Roseira é Policial Civil aposentado, Professor nos cursos de formação na Academia da Polícia Civil do Estado de São Paulo e membro de bancas examinadoras em concursos públicos da Polícia Civil-SP.
O que é IPA?
A IPA - INTERNATIONAL POLICE ASSOCIATION (Associação Internacional de Polícia) é uma das mais interessantes e únicas organizações sociais do mundo. Esta organização fraternal é dedicada a "unir em serviço e amizade todos os membros, ativos ou aposentados, no trabalho de cumprimento da Lei ao redor do mundo". A IPA luta para elevar a imagem da Polícia em seus países membros, e para facilitar a cooperação internacional através de contatos amigáveis entre policiais de todos os continentes.
Seu quadro de membros excede a 310  mil policiais  em 59 países e continua aumentando. O ingresso é aberto a qualquer policial civil dedicado ao cumprimento da Lei, ativo ou aposentado, que preencha os requisitos exigidos pela Seção Nacional da IPA no Brasil. O acesso é oferecido sem considerações de hierarquia, raça, gênero, cor, religião ou opção política.
A IPA foi constituída originalmente pelo Sargento Arthur Troop, da New Scotland Yard, na Inglaterra em 1950. Começou com o sonho de um homem de ter todos os policiais reunidos por intermédio da amizade. Isto é demonstrado pelo lema da Associação "Servo per Amikeco", que, em idioma esperanto, significa "Servir pela Amizade".
A IPA cria uma oportunidade para intercâmbio e contatos em níveis local, regional e internacional. É uma grande organização para seus membros e suas famílias que desejem viajar para qualquer lugar do mundo.
Nos dois casos os policiais ficam hospedados em quartéis de polícia ou nas residências de policiais filiados.
fonte:Blog do canil da guarda civil metropolitana.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Debate sobre o tema está cada vez mais acirrado na Comissão de Segurança Pública. Vinte propostas em tramitação estendem o direito de portar armas de fogo a diversas categorias profissionais.



Vinte projetos de lei em tramitação na Câmara – veja a lista – pretendem ampliar o porte de armas e alterar o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/2003). Pelas propostas, a autorização para o uso de armas de fogo também poderá ser concedida para guarda-parques, agentes penitenciários, guardas portuários, agentes dos Detrans e oficiais de Justiça. Deputados contrários aos projetos dizem que a lei poderá ser desfigurada, considerando que um dos pontos principais do estatuto é justamente a proibição do uso de armas por civis. A disputa sobre o tema na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado se acirrou com a proximidade do ano eleitoral. A pressão feita por diversas categorias profissionais contribuiu para que o número de projetos crescesse na Casa neste ano.
"Ultimamente temos visto uma enxurrada de projetos que pretendem flexibilizar o porte de armas para várias categorias. Para que esses projetos sejam aprovados, bastará um fato violento de repercussão nacional. Nesse caso, o plenário aprovará projetos como esses facilmente. sobretudo em ano eleitoral", afirma o deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), um dos deputados que tentam barrar os projetos na Comissão de Segurança da Câmara.
Autor de um parecer contrário ao projeto que concedia o porte de armas para os guarda-parques no colegiado, Biscaia foi surpreendido quando um novo relatório foi feito às pressas e acabou sendo aprovado o projeto de lei de autoria do deputado Walter Ihoshi (DEM-SP).
Como o relator chegou atrasado ao colegiado no momento da votação, pois estava na discussão sobre a liberação dos bingos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), foi feito parecer na mesma sessão pela aprovação da proposta com voto em separado do deputado Guilherme Campos (DEM-SP). A matéria aguarda agora votação na CCJ.
"A solução para esse período eleitoral é aumentar a mobilização com as entidades que são a favor do desarmamento", alerta o deputado do PT.
O que já mudou no estatuto:
Desde que foi sancionado pelo presidente Lula em 2003, o Estatuto do Desarmamento já sofreu duas alterações que permitiram a ampliação do porte de armas. A Medida Provisória nº 157/2003 reduziu de mais de 500 mil para mais de 50 mil o número de habitantes dos municípios autorizados a garantir que os integrantes das guardas municipais possam portar armas.
Tratava-se de uma MP que criava, entre outras coisas, gratificações para os servidores da Previdência Social. A alteração aconteceu na tramitação da MP no Senado por meio de um "contrabando", apelido dado no Congresso a alterações feitas em propostas legislativas (mais comuns em MPs) tratando de temas completamente alheios ao seu conteúdo original. A mudança acabou sendo sancionada pelo presidente da República.
A outra alteração também veio por medida provisória, no caso pela MP 359/2007. Ela liberou o porte de armas para os auditores e técnicos da Receita Federal, auditores fiscais do trabalho, analistas tributários e quaisquer outros auditores-fiscais, inclusive dos estados e municípios, desde que estejam no exercício da função.
Dois projetos pretendem ampliar ainda mais essas duas alterações. O Projeto de Lei 3870/2008, do deputado Pompeu de Mattos (PDT-RS), garante que os auditores, contemplados pela MP 359/2007, possam ter porte de armas mesmo fora do serviço.
Já o Projeto de Lei 4896/2009, do deputado Milton Monti (PR-SP), autoriza o porte de arma para todos os guardas municipais, sem nenhuma limitação quanto ao número de habitantes em cada município.
Financiamento eleitoral:
Pompeo de Mattos, um dos parlamentares que mais pressionam pelas alterações no Estatuto do Desarmamento, teve entre os seus principais doadores de campanha duas empresas que produzem armas ou munições. O deputado gaúcho recebeu R$ 60 mil da Taurus e R$ 50 mil da Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC).
Além dele, outros três deputados, dentre os 18 que fizeram projetos de lei liberando o porte de armas, declararam à Justiça eleitoral ter recebido recursos de empresas do setor: Alberto Fraga (DEM-DF) que recebeu R$ 170 mil da Taurus; Moreira Mendes (PPS-RO), que teve doações de R$ 50 mil da CBC e R$ 10 mil da Taurus; e João Campos (PSDB-GO), beneficiado com R$ 15 mil da Taurus. "Querem desfigurar e rasgar o Estatuto do Desarmamento. Já pediram porte de armas para advogados e taxistas, além de outras categorias exóticas", reclama o deputado Raul Jungmann (PPS-PE), vice-presidente da Comissão de Segurança Pública.
"Politicamente, vamos continuar fazendo o que sempre foi feito desde a aprovação do estatuto. Esses projetos ou são derrubados na CCJ ou por requerimento que manda as propostas para o plenário tirando o caráter terminativo. Aí não entram no funil das lideranças, pois não tem consenso nenhum", explica Jungmann.
Lobby das categorias:
O deputado do PPS vai comprar briga com a sua colega de partido e presidente da comissão, deputada Marina Magessi (PPS-RJ). "O PT sempre tentou obstruir até que aprovamos o porte para os oficiais de Justiça. O problema é que o deputado Biscaia é contra sem analisar os projetos”, reclama Marina.
“Não entendo como eles defendem isso considerando que os vigilantes que defendem o patrimônio privado podem ter porte e outras categorias que precisam da autorização para defender a própria vida não podem usar armas", afirma Marina Magessi.
A presidente do colegiado também se coloca contra os argumentos de que os oficiais de justiça podem solicitar o acompanhamento de policiais em caso de risco ou quando vão entrar em áreas dominadas pela criminalidade. "Mesmo com proteção policial os oficiais de justiça podem ficar no meio de um tiroteio sem ter o que fazer desarmados. Precisamos analisar caso a caso", justifica.
Presidente da comissão desde o início de setembro, a deputada do PPS também acredita na pressão dos sindicatos para aprovar a liberação do porte em ano de eleição. "No ano que vem, por razões óbvias e eleitorais, esse projetos devem conseguir chegar ao plenário. Todas as categorias têm seus interesses e lobbies por aqui para liberar o porte", reconhece a presidente da comissão.
Na comissão, Marina tem apoio da maioria dos deputados integrantes, formada principalmente por ex-policiais.
"Os agentes prisionais, por exemplo, colocam suas vidas em risco todos os dias e, principalmente, quando vão para suas casas. Eu, como delegado de Polícia Federal, já tenho porte de arma e, por isso, é preciso avaliar o caso de cada categoria. Toda a legislação precisa de um aperfeiçoamento", avalia o deputado Marcelo Itagiba (PSDB-RJ).
“Todos estamos em risco”
"O que está por trás desses projetos são os votos dessas categorias", afirma Antonio Rangel Bandeira, coordenador do projeto de controle de armas da ONG Viva Rio. "O que eles querem é desmontar o estatuto ou quebrar os dentes da lei, que tem como um dos pontos principais a proibição do porte de armas para civis", completa.
Rangel cita várias estatísticas para justificar a restrição ao porte de armas e a manutenção da lei da maneira que foi aprovada. Ele destaca que apenas em um ano e oito meses, entre 2004 e 2005, foram retiradas das ruas 459 mil armas. Acrescenta que, segundo dados da Polícia Federal, 27 mil armas foram furtadas em residências somente em 2003. E prossegue:
"Mais de 80% dos homicídios são por arma de fogo nos chamados crimes interpessoais no Brasil. Já tentaram até abrir o porte de arma para motoristas de caminhão. Não há profissões de riscos, todos estamos em risco. O Estado democrático precisa de mais segurança pública e não de civis armados".
Antonio Rangel Bandeira defende que o governo use todo o seu poder de pressão para evitar que os deputados alterem as regras estabelecidas pelo Estatuto do Desarmamento, contribuindo assim para aumentar a insegurança da população. "A maioria dos parlamentares que fazem essas propostas são da base do governo. Como autor da lei, o governo deveria cortar verbas ou emendas desses deputados que insistem em mudar a legislação contra o desarmamento", avalia Rangel.
Nesta quinta-feira, o Viva Rio vai divulgar no Congresso uma pesquisa feita durante um ano e meio em todo o país e que deve mostrar um ranking sobre o melhor e o pior controle de armas entre os estados.
"Tradição da elite"
Pesquisadores do assunto sustentam que não é por mera coincidência que são em geral menores os índices de violência e homicídios nos países nos quais há maiores restrições contra o comércio e o porte de armas. A razão é simples: quantos menos armas à disposição de civis, menos mortes e crimes costumam acontecer. No Congresso, porém, ainda é muito forte a ideia de que os cidadãos podem se proteger ou fazer justiça com suas próprias mãos – sentimento, aliás, que ajudou a derrotar a proposta de limitar o comércio de armas, quando da realização do plebiscito sobre o tema em 2005.
Autora de um levantamento das propostas do Congresso na área de segurança pública (leia mais), a socióloga Laura Frade também acredita que a proximidade das eleições pode ampliar as alterações no Estatuto do Desarmamento.
"Ano eleitoral é sempre complicado e os riscos de alteração da legislação sempre aumentam. Esse mecanismo é semelhante aos projetos que tentam aumentar a lista de crimes hediondos. De exceção em exceção só o cidadão mais pobre não vai ter direito ao porte de arma", acredita a socióloga, autora do livro Quem mandamos para a prisão – visões do Parlamento brasileiro sobre a criminalidade.
"Isso faz parte da tradição da elite brasileira de alterar a legislação e de se incluir nas exceções das leis", completa Laura Frade.
Levantamento feito pela socióloga demonstrou que, das 646 propostas de combate à criminalidade apresentadas na última legislatura, só duas eram contra corrupção e crimes de colarinho branco

Postado por GCM Guilherme no Guarda Civil de Santa Bárbara d'Oeste em 10/15/2009 12:05:00 PM

sábado, 10 de outubro de 2009

Parabéns!,10 de outubro,dia nacional das guardas municipais.


No início era o verbo:
Gênesis 2:15 Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o GUARDAR. Com a existência do fato delituoso, virou denominação:
Gênesis 37:36 Entrementes, os midianitas venderam José no Egito a Potifar, oficial de Faraó, comandante da GUARDA.
Todos os povos sempre ao se reunirem em grupo, passaram a necessitar da figura altaneira do Guardião da Lei e da Ordem.
Muitas vezes representado pelo próprio chefe da tribo, ou sendo delegado este poder de polícia a determinadas pessoas do grupo.
No Brasil, a primeira instituição policial paga pelos erários foi o Regimento de Cavalaria Regular da Capital de Minas Gerais, em 09 de junho de 1775, onde o Alferes Joaquim José da Silva Xavier, o "TIRADENTES", tornou-se Comandante em 1780.
Com a vinda da Família Real para o Brasil, foi criada em 13 de maio de 1809, a Divisão da Guarda Real de Polícia (Guardas Municipais no Brasil), sua missão era de policiar a cidade em tempo integral, tornando-a desde o início mais eficaz que os antigos “Quadrilheiros”.
Ao abdicar o trono, D. Pedro deixa seu filho D. Pedro II, neste momento conturbado, através da Regência Trina Provisória em 14 de junho de 1831, é efetivamente criada com esta denominação em cada Distrito de Paz às Guardas Municipais, divididas em esquadras.
Em 18 de agosto de 1831, após a lei que tratava da tutela do Imperador e de suas Augustas irmãs é publicada a lei que cria a Guarda Nacional, e extingue no mesmo ato as Guardas Municipais, Corpos de Milícias e Serviços de Ordenanças, sendo que em 10 de outubro, foram reorganizados os Corpos de Guardas Municipais, agora agregado com a terminologia “Permanentes”, subordinada ao Ministro da Justiça e ao Comandante da Guarda Nacional.
As patrulhas de permanente deveriam circular dia e noite em patrulhas a pé ou a cavalo, “com o seu dever sem exceção de pessoa alguma”, sendo “com todos prudentes, circunspectos, guardando aquela civilidade e respeito devido aos direitos do cidadão”; estavam, porém autorizados a usar “a força necessária” contra todos os que resistissem a “ser presos, apalpados e observados”.
As Guardas Municipais no Brasil, dado a sua atuação foram conhecidas também como:
“Batalhão dos Oficiais-Soldados”, “Voluntários da Pátria”, “Sagrado Batalhão” e “Guerreiros da Pátria”.
A atuação da Guarda Municipal desde a sua criação foi motivo de destaque, conforme citação do Ex-Regente Feijó, que em 1839, dirigiu-se ao Senado, afirmando que:
"Lembrarei ao Senado que, entre os poucos serviços que fiz em 1831 e 1832, ainda hoje dou muita importância à criação do Corpo Municipal Permanente; fui tão feliz na organização que dei, acertei tanto nas escolhas dos oficiais, que até hoje é esse corpo o modelo da obediência e disciplina, e a quem se deve a paz e a tranqüilidade de que goza esta corte."
Esta Corporação Ducentenária, teve em quadro vultos nacionais que souberam conduzi-las honrosamente, tendo como destaque o Major Luiz Alves de Lima e Silva - “Duque de Caxias”, que foi nomeado Comandante do Corpo de Guardas Municipais Permanentes, em 18 de outubro de 1832.
Ao ser nomeado Coronel, passou o Comando, onde ao se despedir dos seus subordinados, fez a seguinte afirmação:
“Camaradas! Nomeado presidente e comandante das Armas da Província do Maranhão, vos venho deixar, e não é sem saudades que o faço: o vosso comandante e companheiro por mais de oito anos, eu fui testemunha de vossa ilibada conduta e bons serviços prestados à pátria, não só mantendo o sossego público desta grande capital, como voando voluntariamente a todos os pontos do Império, onde o governo imperial tem precisado de nossos serviços (...). Quartel de Barbonos, 20/12/39. Luís Alves de Lima e Silva”.
A Guarda Municipal é um dos poucos órgãos, senão o único, de prestação de serviço público municipal, que está inserida na Constituição Federal, tamanha a sua importância frente à segurança pública local.
Na Carta Magna, em seu artigo 144, § 8º, ao estabelecer atividades, órgãos e atuação frente à Segurança Pública e à incolumidade das pessoas e do patrimônio, preconiza a responsabilidade de todos, e principalmente do “Estado” (União, Estados, Distrito Federal e Municípios), sendo um direito e responsabilidade de todos.
“Art. 144 – A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
§ 8º Os municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e instalações, conforme dispuser a lei.”
Como o grande Jurista Plácido e Silva já definia:
“GUARDA-CIVIL é uma corporação de ordem policial, existente nas cidades, com a incumbência de vigiar pela ordem pública, orientando também os veículos e pedestres no trânsito citadino.
A cada uma das pessoas que faz o serviço de vigilância ou de policiamento, também se diz guarda-civil.
Embora a guarda-civil entenda-se uma força armada, sujeita a exercícios e deveres militares, não é uma força militar.
Propriamente, o guarda-civil não é um soldado. E embora, na prestação de seu serviço esteja sempre uniformizado, ele é, como se diz comumente, um paisano.”A história da Guarda Municipal, sendo uma instituição secular, acaba se confundindo com a própria história da Nação, ao longo desses últimos duzentos anos.
Em diversos momentos esta “força armada” se destacou vindo a dar origem a novas instituições de acordo com o momento político vigente.
Dado a missão principal de promover o bem social, esta corporação esteve desde os primórdios diretamente vinculada a sua comunidade, sendo um reflexo dos anseios desta população citadina.
Em Curitiba, no ano de 1992, ao realizar-se o III Congresso Nacional das Guardas Municipais, estabeleceu-se que 10 DE OUTUBRO, passaria a ser Comemorado O DIA NACIONAL DAS GUARDAS MUNICIPAIS DO BRASIL.

POR ISSO, PARABENIZO A TODOS OS GUARDAS MUNICIPAIS DO BRASIL, PELA BRILHANTE CARREIRA QUE COM AMOR E DEDICAÇÃO ABRAÇARAM, BUSCANDO SEMPRE DAR O MELHOR DE SI A SUA COMUNIDADE LOCAL.

Um Forte Abraço, e
Saudações Azul-Marinho,
Insp. Frederico/GM Curitiba.

sábado, 26 de setembro de 2009

Do jornal diário do sul: GM de Tubarão mostra como é o seu dia-a-dia, e população comenta.

TUBARÃO – Com o encerramento da Semana Nacional do Trânsito, a Guarda Municipal de Tubarão mostra como trabalha diariamente nas ruas da cidade, buscando proporcionar mais segurança à população junto com a Polícia Militar. Vestindo uniformes azuis, os guardas são vistos, geralmente, nas vias centrais de maior movimento, em semáforos e nas faixas de pedestres.
A GMT é formada atualmente por 46 profissionais, que atuam diariamente divididos em três turnos: das 7h às 13h, das 13h às 19h e das 19h à 1h, quando encerram as atividades externas. Durante a madrugada, apenas o profissional que trabalha na Central da GMT continua atendendo a população através do número 153. Caso sejam avisados de alguma ocorrência neste período, a PM é acionada.
Do número total, 29 guardas ficam distribuídos em rondas no patrimônio público, operação de trânsito, travessia de escolares, operando o radar e prestando apoio na segurança de eventos. Os outros 17 trabalham na parte administrativa, na Delegacia de Trânsito e no canil. “A cada dia tem mais e mais solicitações de serviços. Em alguns casos nem conseguimos atender a todos. Precisamos de mais equipamentos e já existe uma licitação para a compra de duas outras motocicletas”, comenta o inspetor Davi Laurentino.
Hoje a guarda possui somente um automóvel e quatro motocicletas. “O carro é usado para tudo: deslocamento, atendimento e transporte de radar. Procuramos fazer o máximo que podemos com as condições que temos. Quando não estamos na região central da cidade é porque estamos fazendo a travessia de alunos nas escolas: Caic, Mauá, São Judas Tadeu, João Teixeira Nunes e Arino Bressan”, afirma Davi.
No Centro de Tubarão, os guardas procuram percorrer, divididos geralmente em duplas, a avenida Marcolino Martins Cabral, entre a antiga rodoviária e a Pró-Vida, e a Marechal Deodoro com a rua Lauro Müller, até as proximidades do Colégio São José. “Estamos nestes trechos principalmente em horário de pico, para evitar acidentes de trânsito. Nesta área também temos dois colégios. Na entrada e saída de alunos o fluxo de veículos é maior, gerando transtornos. Estamos buscando ideias para desafogar o trânsito. Uma das saídas seria os pais entrarem no Colégio São José para buscar os filhos pela frente e saírem por outra rua”, adianta Davi.
Na quinta-feira à tarde, por volta das 15h, a equipe do DS percorreu as ruas centrais de Tubarão para observar a atuação dos guardas municipais. Nenhum deles foi encontrado desde o Farol Shopping até a antiga rodoviária. Já por volta das 17h30, quando o fluxo de veículos começou a aumentar, os guardas foram vistos no semáforo do Hospital Nossa Senhora da Conceição – HNSC, na esquina entre a avenida Marcolino Martins Cabral e a Tubalcain Faraco, além de estarem no semáforo da ponte Dilney Chaves Cabral. Em cada ponto haviam dois profissionais.
População divide opinões sobre o trabalho
TUBARÃO – Após quatro anos da criação da Guarda Municipal de Tubarão - GMT, a população ainda divide opiniões sobre atuação dos profissionais. Nas ruas, a equipe do DS encontrou aqueles que aplaudem o trabalho desenvolvido e aqueles que pedem mais ações. Mas nenhum deles reprovou a criação da instituição e a presença dos guardas nos semáforos, nas faixas de pedestres e em frente às lojas.
Para o taxista Luiz Antunes, que trabalha somente durante o dia no ponto de táxi da Praça 7 de Setembro, os guardas oferecem mais segurança. “Sempre observo eles passando por aqui ou parados na frente dos estabelecimentos. O trabalho deles dificulta a ação dos malandros. O empresário se sente mais seguro e o cliente também”, opina Luiz.
Já para o comerciante Patrício Costa, que vende sorvetes na mesma praça, falta segurança ao anoitecer. “Eu trabalho geralmente até as 22h30 e à noite não vejo nenhum policial ou guarda por aqui. Muitas pessoas vêm esperar ônibus aqui ao lado e ficam desprotegidas. Às vezes passa uma viatura da PM e da guarda, mas tem dias que tenho de ir embora mais cedo por medo de ser vítima de algum crime”, comenta Patrício.
Para a comerciante Leonete Rosa, os guardas estão sempre presentes. “Eu os vejo com bastante frequência na parte central da cidade e os considero muito prestativos para esta área. Mas quando vou em direção ao Farol Shopping, não os vejo. Eles poderiam atuar mais neste trecho também”, aponta. Quem também quis avaliar o trabalho do grupo foi a estudante Rayane da Silva. “Com certeza nos sentimos mais protegidos. Os guardas em conjunto com a PM são mais fortes e podem estar em mais lugares”, afirma.
O que intriga a pedagoga Naide Nogared sobre a atuação dos guardas é eles estarem sempre em grupos. “Não sei se é por causa do número do efetivo, mas eu quase não os vejo. E por isso eu não entendo por qual motivo eles ficam sempre em dupla ou em trio, com a falta de guarda que temos. Não poderiam estar sozinhos e em mais locais? Hoje, no trânsito de Tubarão, há muito excesso de velocidade, motoristas furando fila e desrespeitando as faixas de pedestres. Precisamos de uma fiscalização maior”, acrescenta.
Defesa - Quem responde a dúvida da tubaronense é o inspetor da GMT Davi Laurentino. “O trabalho é feito em duplas em virtude da segurança. Caso aconteça um acidente, um guarda sozinho não consegue trabalhar, por exemplo. Nesta situação, um precisa chamar o socorro, atender a vítima e verificar a situação, enquanto o outro coordena o trânsito”, explica Davi.
Quanto às rondas e fiscalizações noturnas, o motivo também é a segurança. “A guarda municipal, hoje, não trabalha externamente no período entre a 1h e às 7h devido não ter disponível equipamentos apropriados de segurança, como coletes balísticos e armas de fogo”, aponta o inspetor.
Adailton do Livramento Diretor daGuarda Municipal de Tubarão - GMT.
Diário do Sul - Você considera o número de viaturas e equipamentos que a GMT possui suficiente para atender às solicitações da população? Adailton - A necessidade de equipamentos para a guarda é quase uma urgência. Basta observar a ocorrência registrada no início da semana, onde um guarda foi atropelado e outros dois agredidos. Caso tivéssemos coletes balísticos e armas, talvez o fato não teria acontecido. Nossa intenção em armar a guarda não é para entrar em comunidades, mas para a proteção individual dos profissionais. Precisamos estar bem aparelhados para fazer um bom trabalho.
Diário do Sul - Algumas pessoas rotulam o trabalho de fiscalização no trânsito feito pela GMT como uma "indústria de multas". Como vocês observam esta crítica?Adailton - Indústria de multa é uma inverdade. Ninguém é obrigado a pagar e nenhuma autuação é inventada. Só é obrigado aquele que comete uma infração. Respeitando as sinalizações e os limites de velocidade não haverá multas. Só colocamos radares em vias regularizadas e com sinalizações. Algumas pessoas reclamam que o radar fica escondido e sem um agente. O aparelho funciona sozinho e se o guarda quiser sair, ele pode.
Indústria de multa é uma inverdade. Ninguém é obrigadoa pagar e nenhuma autuação é inventada. Só é obrigado aquele que comete uma infração.
Diário do Sul - Hoje a cidade conta com apenas 46 guardas. Há previsão de novos concursos para aumentar o efetivo? Adailton - O número não é suficiente para a demanda. Mas, se depender de mim, não haverá concurso no ano que vem. O ideal agora é equipar melhor a GMT e melhorar o que vem sendo desenvolvido. Prefiro mais qualidade a maior número sem equipamentos. A nossa maior dificuldade hoje é a própria estrutura. A nossa sede não é ideal e qualquer um pode entrar. Isso gera insegurança. Queremos montar uma central muito mais operacional, com câmeras e segurança.
Diário do Sul - A GMT e a Polícia Militar estão sempre muito próximas em ocorrências e fiscalizações. A relação das duas instituições é pacífica? Adailton - Eu tenho um acesso muito bom à PM, até porque meu irmão é militar. Posso dizer que a guarda tem um bom relacionamento com a Polícia Militar. Já em Florianópolis há rixas entre as duas instituições. Aqui procuramos fazer um trabalho em conjunto. Um liga para o outro. A união é muito benéfica para a população, desde que sejam nítidas as atribuições de cada um.
Diário do Sul - A Guarda Municipal de Laguna foi impedida de fiscalizar o trânsito. Em Tubarão corre um processo neste sentido. A situação pode se igualar a do município vizinho? Adailton - Há a discussão em Tubarão, mas se a Justiça entender que o trânsito não deve ser fiscalizado pela guarda, ainda cabem recursos. Aqui já temos uma liminar ao nosso favor. A situação em Laguna é bem diferente. A Polícia Militar e a Guarda Municipal não têm competência nenhuma no trânsito. Ambas instituições passam a ter através de convênios com o Estado e com o município, respectivamente. A diferença é que nós temos, e lá eles não tinham.
Fonte:Davi Goulartpolicia@diariodosul.com.br

domingo, 13 de setembro de 2009

Criada a Associação dos Guardas Municipais de Tubarão.


Em nome de todos os guardas municipais da cidade de Tubarão, informamos para toda a população ou para quem interessar saber que fundamos, no dia 1º de julho de 2009, a Associação dos Guardas Municipais de Tubarão. A princípio com 46 associados, sem fins econômicos e “apartidária.” Com a fundação da (AGMT), demonstramos que somos um grupo unido e buscaremos defender os interesses dos associados perante os poderes constituídos, instituições públicas e privadas. Com esta ação, deixamos de ser um ‘amontoado’ de pessoas e passamos a ser uma classe, que buscará incessantemente seu espaço, e se fará presente junto aos órgãos competentes na discussão de todos os assuntos de interesse dos guardas municipais. Levaremos sugestões, questionamentos e soluções, no que se refere à nossa área de atuação, bem como participaremos diretamente na condução das políticas que nos afetem. Considerando o estado democrático em que vivemos, denominamos esta ação como o “grito de independência.” Independência no sentido de grupo, pois respeitamos os poderes constituídos do município. No entanto, enfatizamos que o respeito de uma forma geral é conquistado mutuamente, e qualquer forma de retaliação será repudiada pelo grupo. De nossa parte, estamos abertos respeitosamente ao diálogo, independente de pessoas ou partido político. Somos guardas municipais muito bem esclarecidos, e temos como meta o aprimoramento pessoal de nossos associados, com a capacitação através do estudo. Onde houver uma ‘janela do conhecimento’ aberta, por ali entraremos. No que concerne à instituição, buscaremos qualificar nosso trabalho a cada dia, com o intuito de proporcionar maior segurança a nossa população, buscando a plenitude de nosso trabalho, e a excelência dos nossos serviços.
fonte: GM Brognoli.

domingo, 30 de agosto de 2009

Poder da polícia? ou poder de polícia!

A Constituição Federal de 1988, chamada de Cidadã, reforçou o compromisso do Brasil com as questões essenciais relacionadas aos direitos civis, políticos e sociais.
No seu artigo 1°, determina que: ‘‘A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito...’’
No artigo 5°, ‘‘caput’’, informa ‘‘que todos são iguais perante a lei’’(pessoas físicas e jurídicas) e prioriza em escala os direitos fundamentais a serem preservados por todos os entes estatais e ou não: ‘‘...garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade...’’
No artigo 18, organiza político-administrativa a República Federativa do Brasil, nos seguintes entes federados: União, Estados, Distrito Federal e Municípios, dotando todos de autonomia (autogoverno, autogestão).
No seu artigo 30, a Carta Maior é claríssima, normalmente quando atribui aos municípios responsabilidades nas áreas de saúde, educação, segurança, transporte coletivo, ordenamento territorial, proteção ao patrimônio histórico e cultural, bem como as questões abrangentes como serviços públicos de interesse local, No aspecto interesse local devemos lembrar a tríade Saúde , Segurança e Educação. Ademais o povo está nos municípios e no Distrito Federal, pois Estado-membro e União são entes abstratos.
O maior problema de interpretação nós encontramos no ‘‘caput’’ do artigo 144, que trata da Segurança Pública, vejamos: ‘‘A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos...’’ .(grifei). Alguns pseudos intelectuais afirmam que o termo Estado usado no ‘‘caput’’ referido diz respeito aos Estados-membros. Uma falácia, pois se assim fosse estariam tirando poder da União e do Distrito Federal, ou seja, por esse prisma somente os Estados-membros, teriam poder de polícia.
Na verdade o termo ESTADO, utilizando no artigo constitucional se refere a todos os entes federados da R. F. B., conforme explicitam os artigos 1° e 18° de nossa Carta Magna; assim sendo, quando lermos qualquer dispositivo constitucional que contenha o termo ESTADO, poderemos colocar em seu lugar o termo: UNIÃO, ou DISTRITO FEDERAL, ou ESTADO, ou MUNICIPIOS, pois todos são termos da lei maior, autônomos políticos-administrativamente. E não perderíamos o significado da oração.
O fato que diferencia os municípios é que contrariamente à União, ao Distrito Federal e aos Estados-Membros eles não têm obrigação e sim faculdade de criar Guardas Municipais, no entanto se as criarem, com certeza estarão insertos na obrigação estatal de fomentar A Segurança Pública ao seu Povo. Afinal de contas a obrigação Constitucional de ''... criar políticos de desenvolvimento urbano das funções sociais da cidade e garantir o bem- estar de seus habitantes é exclusivo do Poder Público Municipal...'' , ou seja, do Prefeito e seus Secretários (art. 182 - ''caput'' - CF/88).
A guisa de esclarecimento, a única lei brasileira que trata do termo Poder de Polícia em nossa Pátria é o Código Tributário Nacional - CTN, nos seus artigos 77 e 78, e neles os municípios tem total Poder de Polícia.
Por derradeiro o Ministério do Trabalho, quando efetuou a codificação das profissões brasileira, no chamado CBO - Classificação Brasileira de Ocupações inseriu as Guardas-Civis Municipais na mesma família profissional da Polícia Federal, classificando-as sob o código CBO 5172-15, com atribuições de proteção de bens (art. 99, do Código Civil Brasileiro), instalações, serviços, proteção de pessoas, fiscalização de trânsito e segurança pública.
Assim sendo, as Guardas Civis Municipais tem Poder de Polícia em todo território municipal, podendo abordar pessoas e veículos em atitudes suspeitas (art. 240 e 244, do Código de Processo Penal), bem como prender quem quer que seja que se encontre em situação de flagrante delito (art. 301 e 302, do Código de Processo Penal). Inclusive, se efetuar convênios com outras Prefeituras e com a União, poderá atuar em outros municípios e ou nas rodovias federais.
fonte:Carlos Alberto de Sousa
Bacharel em Direito, Pos-graduado em Direitos Humanos, Pos-graduando em Gestão Pública e Administração de Cidades, Militar da Reserva do Exercito Brasileiro e da Policia Estadual, atual SubComandante da Guarda Civil Municipal de Poá.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Dificuldades na segurança pública.

Pesquisa feita pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, aponta que, para 92,4% dos policiais militares e civis, guardas civis municipais, bombeiros militares e agentes penitenciários, os baixos salários são fatores considerados os mais importantes para as dificuldades do trabalho das polícias. Participaram da pesquisa quase 65 mil profissionais de segurança.
A consulta "O que pensam os profissionais de segurança pública no Brasil" ouviu a opinião de policiais que frequentam o ambiente de Educação à Distância (EAD) na busca de aperfeiçoamento e valorização profissional. E visava a saber sobre o modelo ideal de polícia para o Brasil, a hierarquia e a disciplina em seu ambiente de trabalho, a importância do controle externo, a atuação do Ministério Público e do Poder Judiciário e as situações de vitimização a que estão cotidianamente submetidos.
A falta de verbas para equipamentos e armas foi apontada por 84,8% dos entrevistados como "muito importante" para as dificuldades do trabalho das polícias, seguida por formação e treinamento deficientes (81,9%), contingente policial insuficiente (80,7%) e incapacidade das instituições policiais em identificar os potenciais de cada profissional e aproveitá-los (67,7%).
Também foram citados como empecilhos importantes ao trabalho: a pouca confiança da população nas instituições de segurança pública, a pouca confiança dos profissionais de segurança pública na população, a falta de participação da sociedade nas políticas de segurança, a desvalorização da perícia técnica e da produção de provas de boa qualidade que possam levar à condenação e a corrupção nas polícias.
Esta pesquisa comprova o descaso dos governos com a segurança pública, e em nossa cidade não é muito diferente, mesmo assim apesar dos pezares nossos guardas são incansáveis na sua árdua luta diária, não esmorecendo e honrando o uniforme azul-marinho que ostenta a bandeira do município e representa o poder público municipal dioturnamente nas ruas de nossa cidade azul.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Na última terça-feira dia 18, em visita à guarda municipal de Florianópolis, estiveram reunidos para troca de informações os GM´s Thiago(tesoureiro da AGMT), Freitas(presidente da AGMT) e Wilians(presidente da AGMF). O encontro foi importante pois se tratou de uma forma de integração entre as associações, haja visto que mesmo sendo recente a Associação dos Guardas Municipais de Tubarão já começa à dar os primeiros passos rumo a uma maior representatividade em busca de melhorias para os associados. A Associação dos Guardas Municipais de Tubarão foi fundada em 1º de julho de 2009, e conta atualmente com 46 associados.

sábado, 15 de agosto de 2009

Colegas gaúchos em passagem por Tubarão.

No último sábado dia oito de agosto, guardas de Porto Alegre e Uruguaiana que estavam retornando do congresso nacional de guardas municipais, fizeram uma visita rápida e pausaram para fotos com os GM´s de Tubarão. Parabéns pelo empenho, por estar representando a classe em mais um encontro nacional de GM´s.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

GM em flagrante de embriaguês.


No último sábado, dia 08, por volta das dezenove horas, a central da GM foi acionada sobre uma briga de trânsito na rua Lauro Müller no Centro da cidade, sendo deslocada uma viatura para averiguar. Chegando ao local a guarnição se deparou com um veículo fiat uno estacionado irregularmente e que próximo do mesmo encontrava-se V.C., de 48 anos de idade o qual estava em vias de fato com populares que tentavam contê-lo. Rapidamente os GM´s imobilizaram V.C., e constataram pelas evidências que ele estava embriagado. Testemunhas relataram que o autor quase causou um acidente com um outro veículo que transitava em sentido contrário. Diante das circunstâncias o veículo foi guinchado por estar com a documentação irregular, V.C., foi submetido ao teste do bafômetro, negando-se a realizar o exame, desta forma ele foi conduzido até a delegacia de delitos de trânsito onde foi feito o auto de constatação de embriaguês, e lavrado em seu desfavor o B.O., nº00117-2009-01048. O condutor foi notificado de acordo com o artigo 165 do CTB, em cerca de 950,00 reais além de ter a CNH recolhida.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Resultados da etapa estadual da 1º CONSEG realizada em Florianópolis no final de julho.

1. Relação de Princípios priorizados no final da Etapa Estadual de Santa Catarina por ordem de prioridade :

1-Obrigatoriedade do Estado (União, Estados e Municípios) em destinar percentual orçamentário mínimo à segurança pública com garantia de autonomia administrativa e financeira para todos os órgãos integrantes do sistema de segurança pública.
2-A política nacional de segurança pública deve promover a integração democrática entre órgãos e sociedade com caráter preventivo, conforme a filosofia de polícia comunitária.
3-A segurança pública deve ser tratada como política de estado, voltada à garantia dos direitos fundamentais e do estado democrático de direito.
4-As políticas públicas devem garantir a imparcialidade e qualidade técnica das entidades de segurança publica, respeitadas as competências, evitando-se a superposição de atribuições, sem prejuízo a integração sistêmica dos órgãos.
5-Gestão de segurança pública como política de estado pautada na democracia, na participação social, na garantia de direitos e na promoção da cidadania.
6-As políticas de segurança pública devem contemplar a garantia dos direitos de seus trabalhadores, com salários dignos, formação qualificada e continuada, valorização profissional e otimização das condições de trabalho, garantindo o bem estar físico e mental dos profissionais.
7-A política nacional de segurança pública deve ser pautada na prevenção social dos crimes e da violência, que tenha por alvo a integração da família, da comunidade e da escola, respeitando e garantindo os princípios fundamentais do cidadão.

2. Relação de Diretrizes priorizadas no final da Etapa Estadual de Santa Catarina por
ordem de prioridade:

1-Promover a autonomia da perícia criminal de forma a assegurar uma persecução criminal justa, imparcial e de qualidade técnica, garantindo assim o respeito à dignidade humana e ao princípio da ampla defesa
2-Instituir a obrigatoriedade do estado (união, estados e municípios) em destinar percentual orçamentário mínimo para a segurança pública com garantia de autonomia administrativa e financeira para todos os órgãos integrantes do sistema de segurança pública
3-Desmilitarização da policia militar e bombeiros militares como forma de abrir o dialogo, criando código de ética único, respeitando a hierarquia, a disciplina e os direitos humanos.
4-Implementar meios de desburocratização do sistema de investigação criminal, buscando celeridade, eficiência e eficácia.
5-Incentivar a implantação de educação integral, através de programas educacionais, culturais, de lazer e esporte, voltados para crianças e adolescentes visando mobilização social, bem como utilizar a concessão pública dos meios de comunicação estimulando uma programação voltada à cultura de paz, afastando os jovens do consumo e do tráfico de drogas.
6-Implementar plano de cargo, carreira e salários, para profissionais do sistema, e aprovação nos termos da PEC 308/04 e PEC 497.
7-Implementar e fomentar programas e projetos educacionais de prevenção e atendimento a emergências através dos órgãos de segurança pública, nos âmbitos escolar, empresarial e comunitários.
8-Regulamentação das atribuições constitucionais das guardas municipais.
9-Estabelecer o ciclo completo para as polícias nas respectivas áreas de atuação.
10-Estabelecer um padrão unificado nacional de remuneração, tendo como referencia o maior salário pago no País aos trabalhadores da segurança publica, o qual devera ser subsidiado pela união
11-Legitimar os Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEG’s) dando-lhes poder deliberativo sobre gestão financeira, orçamentária e de execução na Segurança Pública dos entes federados.
12-Unificação de todas as polícias e sua militarização.
13-Garantir o acesso, efetivação e a obrigatoriedade de uma rede de serviços públicos de qualidade, nas áreas de saúde, educação, justiça, comunicação, segurança, cultura, esporte, lazer e assistência social, como instrumentos para a prevenção social do crime e das violências, instituindo mecanismos de diálogo, controle social e avaliação permanente.
14-Incluir todas as unidades federativas no pronasci, priorizando as políticas públicas e os programas sociais voltados para os grupos vulneráveis, como meio de combater as desigualdades, garantindo o acesso ao direito.
15-Garantir a transversalidade de noções de Segurança Pública e prevenção social desde a educação infantil até o ensino superior, promovendo a ética, a cultura da paz e a cidadania participativa, à luz dos direitos humanos, entendendo a educação como base da estrutura social.
16-Garantir o acesso á cultura, esporte e lazer, através de parcerias entre comunidade, sociedade civil e agentes de segurança, objetivando o exercício efetivo da cidadania.
17-Garantir regime especial de trabalho, com uma jornada salutar máxima de 40 horas semanais, não devendo ultrapassar 12 horas continuas, bem como instituir aposentadoria especial, aos 30 anos de contribuição para homem e 25 para mulher, com integralidade e paridade de remuneração
18-O estado devera criar e manter centros regionalizados de atenção ao trabalhador, com equipe interdisciplinar, para promover acompanhamento jurídico, medico, assistência social e psicológica, dentre outros, com o objetivo de desenvolver programas de prevenção, promoção da saúde e gerenciamento do estresse ocupacional (inclusive para familiares e profissionais aposentados)
19-Estabelecer normas, a nível nacional, para proteção e segurança contra-incêndios, acidentes e pânico em edificações.
20-Estimular o aumento de Escolas em Período Integral (EPI), no Ensino Fundamental, como forma de prevenção à violência.
21-Implantar e monitorar programas educacionais e de capacitação profissional nas instituições prisionais visando geração de renda para presos, bem como promover formas de incentivos a empresas que contratarem egressos do sistema prisional.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Guarda Municipal realiza fiscalização em cruzamentos.

O carpinteiro Orlando Antunes do Livramento, de Tubarão, dirige uma moto Yamanha YBR. Ele e muitos outros motoristas foram parados ontem, pela Guarda Municipal de Tubarão, em um comando de trânsito realizado no cruzamento das pontes Nereu Ramos e Heriberto Hülse com as ruas Lauro Müller e Marechal Deodoro. Após a conferência dos documentos, Orlando foi liberado. “Dependo da moto para trabalhar e procuro andar certo. Gostei da iniciativa da GM. A blitz é algo necessário, tem muito motorista que não respeita o limite de velocidade”, afirma o carpinteiro. O comando de trânsito foi realizado na parte da manhã, ao meio-dia e no fim da tarde, e contou com o uso do radar móvel para contagem do fluxo de veículos. “É importante saber qual a média de veículos que transitam nos horários de pico. Isso pode influenciar no tempo do semáforo e na sinalização com placas e faixas de pedestre. Amanhã (hoje), teremos compilado os dados, mas o trabalho continua, até que nós tenhamos informações suficientes para fazer uma boa avaliação e propor alterações”, explica o diretor da GM, Adailton do Livramento. O comerciante Robson Motta também gostou da iniciativa da GM de fiscalizar com mais intensidade o trânsito no centro. “Na frente da minha loja, já vi muitos acidentes. Tem motorista e também pedestre imprudente”, observa Robson.
fonte :NOTISUL

terça-feira, 28 de julho de 2009

CRACK; O "craque" do time da morte!



“O doce se torna amargo na medida em que o efeito do crack passa e a necessidade psicológica assim o pede de volta”.
(Archimedes Marques)

Dentre todos os componentes do time das drogas. Dos componentes do time da morte. Está a figura do crack. O crack como o mais avassalador, como o mais devastador de todo o conjunto de entorpecentes ou dos elementos químicos alucinógenos, que torna o seu usuário no maior dependente periculoso e debilitado existente. Torna o dependente capaz de qualquer coisa, capaz de matar ou morrer para sustentar o seu vício.
Crítica é a situação em que se acha o usuário e dependente do crack. Crítica não melhor é a situação em que se vive os seus entes queridos que nada fizeram para merecer tal castigo.
A violenta crise situacional e emocional do dependente do crack parece fugir-lhe toda a perspectiva de dias melhores. As ocorrências no terreno familiar e social vão caminhando sempre em largas vertentes para o mal e para dias piores. A vida vivida pelos envolvidos com o vício do crack parece esvair-se entre os dedos das suas próprias mãos.
Lançando um olhar no passado, o viciado, vê o rumo errado que tomou. Olhando ao futuro somente se lhe afigura a tumba. O seu presente é só o crack... O crack como o senhor do seu viver... O crack como dominador do seu “eu”... O crack como seu real transformador do bem para o mal... O crack como destruidor da sua família... O crack com aniquilador do seu bem maior... O crack como o seu transporte para a morte!...
Estamos, sem sombras de dúvidas, em aguda e profunda crise urbana e social relacionada a essa droga avassaladora.
Assim, estamos perdendo a partida para o crime organizado... Assim, estamos perdendo a luta para o tráfico... Assim, estamos perdendo os nossos jovens para o crack... Assim, estamos perdendo o futuro da Nação para as drogas!...
Até parece que apesar de todas alertas feitas, as Autoridades constituídas ainda não atentaram para esse gravíssimo problema: As chamadas “cracolândias” estão se proliferando em alta escala pelos quatro cantos do país. Uma epidemia de crack que supera todas as outras drogas juntas, destarte já haver também o MERCADÃO DAS DROGAS.
O técnico do time da MORTE, o popular traficante que é bastante respeitado e temido pelo povo, está bastante otimista e satisfeito com o rendimento da sua equipe. Traficante acredita sempre na vitória sobre a SOCIEDADE que apesar de ser um grande time e ter bastante força é uma equipe apática e desmotivada...
Apostando no desânimo da SOCIEDADE que está atônita em campo, os Diretores do time da MORTE sentem-se gratificados com as estupendas arrecadações que sobem jogo à jogo e por isso prometem investir mais e mais no grupo com o intuito de transformá-lo numa equipe imbatível...
A geração mortificadora desse time é provinda da base da cocaína e então com a adição de produtos químicos altamente nocivos ao ser humano nasceu o crack. Essa aniquiladora que é filha da cocaína, nada mais é do que UM MAL PIORADO.
O crack,além de possuir uma grande percentagem de cocaína na sua fórmula absurda, gananciosa, inconseqüente e mortal, constituído com vários produtos químicos altamente nocivos e destrutivos à saúde do usuário, é também o produtor do vício mais rápido entre as drogas. Com duas ou três pedras fumadas o usuário vicia e o seu organismo passa a pedir mais e mais a droga tornando-o de imediato um dependente químico.
O Representante brasileiro do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC), BO MATHIASEM, admite a preocupação com essa droga: “O crack é mais barato, sim, e vicia muito, agravando rapidamente o problema da dependência química”
Realmente o crack, por possuir no seu composto produtos mais baratos tais como a cal virgem e o ácido sulfúrico, também é mais barato do que as outras drogas, contudo, sem contar com as conseqüências advindas do seu uso, é certo dizer que é aquele barato que se torna mais caro pois a necessidade do usuário é mais freqüente em decorrência do curto espaço de tempo de duração do efeito químico alucinógeno no seu organismo.
O psiquiatra, diretor técnico do Hospital Psiquiátrico São Pedro, em Porto Alegre, GILBERTO BROFMAN, explicou em poucas palavras a nova moda de droga: “Estamos perante uma epidemia, porque há um número explosivo de casos nos últimos três anos. Antes era uma raridade, tínhamos nas unidades 90% de outras dependências e 10% de crack. Hoje temos o contrário.”
O início da trajetória de crimes praticados pelo dependente químico do crack ou da tragédia familiar causada é sempre a mesma: “O viciado depois de gastar tudo que tem passa a se desfazer dos objetos da sua própria casa, ou quando criança ou jovem, passa a furtar os objetos da casa dos seus pais ou dos seus familiares e amigos para vender ou trocar por crack. Depois outros furtos em tudo quanto é canto. Posteriormente roubos a transeuntes ou em comércio... e em conseqüência, homicídios e latrocínios.”
De todo modo, bem perto de todos nós, tudo isso acontece. Drogas como o crack tomam conta de boa parcela da sociedade, principalmente dos jovens, constituindo perigo tanto para o próprio usuário, quanto para a sua família e para as demais pessoas que atravessam em seu caminho.
É de bom alvitre registrar o entendimento do Professor e Educador do Rio Grande do Sul, CLEBER C. PRODANOV quanto aos projetos públicos de combate às drogas: “Parece que as políticas adotadas até aqui para frear o consumo das drogas não tem atingido seus objetivos somente com a repressão, sem a conscientização. A educação e um convívio mais profundo e dialogado entre as pessoas, especialmente entre pais e filhos, poderá livrar-nos dessa epidemia. Não podemos achar que a polícia ou a medicina resolverão os problemas, que, muitas vezes, se iniciam nos lares, escolas e outros lugares de convivência, principalmente dos jovens, mais expostos, por vários motivos, à atração do mundo das drogas.”
A Polícia, via de regra, faz o que pode no combate a essa insanidade humana. Não é a Polícia onipresente ou onipotente para evitar toda essa parafernália e para prender todos os traficantes ou desbaratar de vez o narcotráfico e o crime organizado, por isso cumpre o seu mister, está à espera de novos paradigmas ou de ações mais efetivas por parte dos Poderes constituídos.
Diante de tudo isso. Diante de todos esses fatos comprobatórios que evidenciam a realidade de que o Brasil corre sério problema de identidade racional com as drogas e em especial com o crack, só nos resta o GRITO DE ALERTA:
É preciso mudanças imediatas...
É preciso de ações governamentais rigorosas e eficientes para conter o tráfico...
É preciso que se mudem as Leis e se aplique a pena máxima ao traficante de drogas...
É preciso que haja aulas exemplificativas com mais freqüência em todas as Escolas do Brasil para conscientizar o aluno sobre o perigo das drogas...
É preciso que os pais também se posicionem com os seus filhos alertando-os sobre essa epidemia...
É preciso que o povo denuncie com mais freqüência os pontos de venda de drogas...
É preciso que a população denuncie diariamente os traficantes da sua área residencial...
É preciso que a sociedade denuncie às Corregedorias ou Ouvidorias de Polícia quando Policiais estiverem acobertando ou envolvidos com o tráfico de drogas...
É preciso de Leis mais rígidas e menos burocráticas para excluir e punir em curto prazo de tempo o Policial protetor do tráfico de drogas...
É preciso que o cidadão denuncie à Polícia, ao Ministério Público, à OAB ou órgão congênere quando souber que qualquer Autoridade ou Funcionário Público esteja envolvido com o tráfico de drogas ou com o crime organizado...
É preciso que haja mais e melhores clínicas especializadas em tratamento ao drogado à serviço do Estado...
É preciso que haja mais psiquiatras, psicólogos, terapeutas, psicanalistas e médicos especialistas com função pública para tratar dos dependentes químicos das drogas...
É preciso que haja um melhor e mais amplo engajamento das Igrejas e demais entidades religiosas em busca de soluções para amenizar o tráfico de drogas...
É preciso que haja mais escolas públicas profissionalizante para tirar o jovem das ruas e das drogas, dando-lhe uma profissão digna...
É preciso que a sociedade civil debata o tema com mais veemência e se engaje efetivamente na luta contra as drogas, contra o crack...
É preciso que se invistam mais nos setores que combatem o crime organizado, pois aí está a raiz profunda do problema do tráfico...
É preciso que haja medidas preventivas, repressivas e curativas efetivamente sérias no combate às drogas...
É preciso que haja programas educacionais efetivos para fortalecer a auto-estima do jovem no sentido de livrá-lo das drogas e levá-lo aos esportes, aos estudos...
É preciso que os Governos invistam mais no Policial pagando-lhe salário digno para melhor incentivá-lo no combate às drogas...
É preciso que os Governos invistam mais nos setores de Inteligência Policial e nos Órgãos Policiais especializados para melhor se combater o tráfico de drogas...
É preciso que se abandonem de vez as ações pirotécnicas e se criem projetos verdadeiros em todas as cidades do País para o controle das drogas...
É preciso que se formem mais craques no futebol, nos esportes, na vida, não no crack da droga ou na droga do crack!...

Texto:Archimedes Marques-Delegado de Policia.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Fórum catarinense será realizado em Tubarão.


Profissionais da Educação e áreas ligadas ao trânsito estarão em Tubarão nos dias 23 e 24 deste mês, para o 8º Seminário do Fórum Catarinense pela Preservação da Vida no Trânsito.O evento, que tem como tema Educação no Trânsito, visa apresentar, discutir e eleger ações para tornar o trânsito mais seguro. O evento acontece no Espaço Integrado de Artes da Unisul.Interessados podem fazer a inscrição pela internet no site do Detran/SC http://www.detran.sc.gov.br/8forum/oitavo.htm.Entre os assuntos abordados nas palestras e debates, destaque para os temas: “Educação no Trânsito e a Formação do Cidadão”, “O Custo do Acidente de Trânsito para a Sociedade e Cofres Públicos”, “Percepção de Risco no Trânsito”, entre outros.Este ano, o Conselho Nacional de Trânsito – Contran elegeu o tema Educação no Trânsito, para que órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito (SNT) desenvolvam iniciativas com a população, focadas em valores como respeito, gentileza, cooperação, colaboração, tolerância, solidariedade, amizade entre outros fatores tão importantes para assegurar um trânsito seguro e harmônico.Mais informações sobre o 8º Seminário do Fórum Catarinense pela Preservação da Vida no Trânsito podem ser obtidas no site do Detran e na secretaria municipal de Segurança e Trânsito, pelo telefone (48) 3906-1049.
Nada mais propício para uma cidade como Tubarão, que no último mês, segundo o Departamento Estadual de Trânsito de Santa Catarina - (Detran/SC), tinha 62.360 veículos para cerca de cem mil habitantes, sediar um evento que reunirá profissionais da educação e áreas ligadas ao trânsito. O secretário de segurança e trânsito da prefeitura de Tubarão, João Batista de Andrade, explica que três pontos básicos precisam ser difundidos para que o município previna-se dos problemas de trânsito. “A engenharia, a educação de trânsito e a fiscalização serão os assuntos abordados no seminário, e que são desenvolvidos pela secretaria, pois a cidade está entre os municípios com maior taxa de motorização do país”, salienta Batista. Tubarão passa por grandes dificuldades quando o assunto é trânsito. Na opinião de Batista, a cultura da sociedade agrava os problemas. “Tubarão não é uma metrópole, há destinos que podem ser realizados a pé, ou até mesmo de bicicleta. Mas as pessoas estão condicionadas a utilizarem veículos”, opina o secretário.
E a maioria das pessoas só muda os seus conceitos quando é atingida financeiramente. “Os acidentes seriam em menor número se a fiscalização fosse mais exigente. O seminário também abordará este fato”, adianta o secretário.
FONTE:Secom/Notisul.

sábado, 4 de julho de 2009

Mais um veículo recuperado pela GMT.


A Guarda Municipal de Tubarão (GMT) recuperou, na manhã desta sexta-feira (3), mais uma motocicleta furtada.
A motocicleta Yamaha YBR preta foi recuperada por dois guardas municipais na rua João Fernandes, bairro Congonhas, no terreno de uma residência, onde a moto foi abandonada pelos ladrões durante a noite. O morador da casa encontrou o veículo quando acordou e acionou os guardas que realizam blitz com radar nas proximidades.
Uma guarnição da GMT foi deslocada para o local para averiguação. Os guardas consultaram a placa da motocicleta e foi constada a ocorrência de furto no dia 2 de julho de 2009.
A motocicleta foi encaminhada para a Delegacia de Polícia, onde foram feitos os procedimentos legais para devolução da motocicleta ao proprietário da mesma.
Fonte: Secom/PMT

sexta-feira, 3 de julho de 2009

GMT recupera veículos e prende os ladrões em flagrante.


No dia primeiro de julho por volta das cinco horas da tarde, no bairro Dehon um cidadão avisou uma guarnição do patrulhamento motociclístico acerca de um tumulto nas proximidades. Chegando no local os guardas pediram apoio de outra viatura que estava próxima, de pronto os guardas assumiram a ocorrência evitando o linxamento dos elementos e apreendendo os mesmos. Em seguida foi descoberto que se tratavam de dois menores de idade que haviam furtado uma CG 125 titan há poucos instantes e que estavam já em fuga com uma outra motoneta honda biz,que também seria levada sendo que os mesmos não tiveram êxito na fuga. Em seguida os dois autores de 15 e 12 anos,este último já com passagens anteriores por envolvimento com o tráfico,foram conduzidos pela viatura da GMT à delegacia do menor juntamente com as vítimas onde foi lavrado o B.O. de nº 00205/2009-01233 pela autoridade policial de plantão. Os veículos foram entregues em seguida aos respectivos proprietários que agradeceram e elogiaram a atuação dos guardas.
fonte: Guarda Municipal de Tubarão/SC.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

GMT divulga seu trabalho em progama de TV.


As integrantes da Guarda Municipal de Tubarão, Cássia Berguemmayer e Luciane Martins Rodrigues participaram, na manhã da segunda feira (29), do programa Mais Mulher, com a apresentadora Sibéle Cristina, na Unisul TV.
As GMs falaram sobre o trabalho realizado pela corporação na área da educação nas escolas do município e sobre a campanha “Sou Vivo! Eu respeito a faixa”, passando dicas de como se comportar diante da faixa de pedestre, válidas para o pedestre e o condutor de veículo.
A campanha “Sou Vivo! Eu respeito a faixa”, foi lançada em maio, e vem sendo trabalhada em escolas e nas ruas, em diversos pontos da cidade, por meio de palestras e blitze educativas. A GMT pede a colaboração da comunidade tubaronense para o sucesso da campanha já que a mesma foi elaborada visando a conscientização sobre o uso adequado da faixa, para que as leis de trânsito sejam realmente respeitadas, pois somente assim será mais seguro e mais humano.

Fonte: Secom/PMT

terça-feira, 23 de junho de 2009

GMT dá instrução sobre primeiros socorros.


Integrantes da Guarda Municipal de Tubarão (GMT), treinados no Curso de Bombeiros Comunitários, realizaram na última sexta-feira (19), palestra sobre Noções Básicas de Primeiros- Socorros. A orientação foi realizada para educadores de escolas públicas e privadas de Tubarão e região, participantes do Curso de Multiplicadores em Educação para o Trânsito, promovido pela secretaria de Segurança e Trânsito.
Na palestra, foram abordados temas como procedimentos em caso de paradas respiratória e cardíaca, maus súbitos, hemorragias, imobilização de fraturas, entre outros assuntos relacionados a emergências. O objetivo é preparar os educadores para prestar atendimento com a finalidade de evitar o agravamento do estado da vítima até a chegada de ajuda especializada.
Capacitação - O Curso de Capacitação de Multiplicadores em Educação para o Trânsito, idealizado pela secretaria de Segurança e Trânsito, teve início no último dia 04 de junho e encerra nesta segunda-feira (22).
Durante o curso, profissionais da educação das redes pública e privada de Tubarão e dos municípios da Amurel e integrantes do setor de Educação da Guarda Municipal de Tubarão e da Guarda Municipal de Laguna receberam instruções sobre legislação de trânsito, elaboração de projetos educacionais, oficina de ludicidade e primeiros-socorros.
Os assuntos apresentados aos participantes têm o intuito de capacitá-los para atuar como facilitadores no processo de educação para o trânsito, além de aplicarem o Programa Aluno do Trânsito (Proat) nas escolas. O curso teve uma carga horária de 80 horas.
Criado em 2004, o Proat capacita alunos da rede pública e privada de Tubarão e região, auxiliando na formação de cidadãos, de modo a construir um trânsito mais seguro e humano. Os educadores ainda participarão do 8º Seminário do Fórum Catarinense de Preservação pela Vida no Trânsito, no dia 24 de julho próximo, que, pela primeira vez, acontecerá em Tubarão.
fonte/SECOM

Guarda Municipal prende ladrão em flagrante.


No último sábado (6), por volta das 15 horas, a Guarda Municipal de Tubarão (GMT) prendeu, em flagrante delito, L.C.S, de 57 anos.
O ladrão cometeu o crime numa loja de calçados, no centro da cidade. A vítima estava no local, quando percebeu o sumiço da bolsa. Ela avisou os funcionários da loja que a encaminharam para a sala de monitoramento. O furto foi confirmado em cena de vídeo gravada.
Em seguida, as características do cidadão que praticou o delito foram repassadas para três guardas municipais que estavam por perto. Eles seguiram em direção a um cidadão com as características repassadas pela atendente da loja. Ao ser abordado pelos guardas, na rua Lauro Müller, ainda no Centro da cidade, o ladrão tentou disfarçar, colocando a bolsa embaixo de seu moletom, mas quando percebeu que não teria como negar o furto, o arremessou a bolsa ao chão e resistiu à prisão. “Ele me agrediu dando uma mordida em meu braço”, relata o guarda municipal, Marcelo Goulart Silva. Os três guardas municipais conseguiram imobilizar do ladrão e o encaminharam para a Central de Polícia Civil, onde ficou detido.
Os pertences foram entregues à vítima na delegacia.
fonte/SECOM
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...